3 lições da cultura pop para empreendedores (geeks ou não)

School-of-Rock-2003-HDRip-Free-Movie-Download

Você deve ter percebido: é cultura pop pra cá, cultura geek pra lá, filme de super herói todo final de semana nos cinemas. O mercado cresce assustadoramente e só no Brasil já movimenta alguns bilhões por ano. Prova disso são eventos de grande porte como a Comic Con Experience em São Paulo, que esse ano expande para Recife, ou a final do CBLOL, o Campeonato Brasileiro de League of Legends. Tudo isso revela a profundidade que os negócios têm nessa área e as lições que a cultura pop pode trazer a empreendedores.

Os conteúdos de cultura pop só crescem e nesta semana o Tot promoveu dentro da BitWeek mais uma edição do Debatendo Ideias. O tema da vez foi o crescimento dos conteúdos de cultura pop na Paraíba, reunindo creators de diferentes nichos. Cuidei da mediação de uma conversa ótima com Ruan Elson, host júnior do Tot, fundador do Descubra Nárnia e colaborador do Sobre Sagas; Thanny Costa, criadora do blog Who’s Thanny e do Orgastronômico; e Luiz Felipe do podcast e videocast Nerdebate. A postura dos criadores de conteúdo deste segmento tem muita coisa que a gente pode absorver para o empreendedorismo. Quero destacar pelo menos algumas aqui no Vamos Empreender:

1. Ser apaixonado não é o suficiente

Ser fã daquele arte, de um gênero ou de determinado produto cultural é simplesmente o básico. Espera-se que alguém que esteja escrevendo sobre aquilo realmente seja apaixonado por aqueles temas. Mas escrever, filmar ou gravar podcasts requer mais do que paixão. É preciso consumir os filmes, os livros relacionados, conhecer a fundo os universos que compõem uma saga, as expressões usadas no nicho. Quem entende do assunto e vai a fundo nas pesquisas, consegue se comunicar melhor e fazer parte da comunidade.

2. Busque parcerias para ser visto

As editoras brasileiras descobriram um filão importante para trabalhar a venda de literatura para “jovens adultos” (18-25). Anualmente, várias delas fazem uma seleção de novos parceiros: youtubers e blogueiros que receberão os lançamentos das marcas e farão reviews em seus canais. Assim, os creators permanecem abastecidos de novidades e as editoras garantem o buzz em torno dos seus livros. Mesmo que o ciclo passe por certos vícios, ele mostra que garantir parcerias sólidas também pode garantir uma visibilidade para seus produtos.

3. Universos expandidos, conteúdos expandidos

Tem sido cada vez mais frequente, dentro de sagas e universos como o da Marvel, da DC ou de Star Wars, a possibilidade de expandir as narrativas para múltiplos meios. O filme que vira história em quadrinhos, o livro que vira filme, a HQ que vira game e assim por diante. Esse processo ensinou os creators de cultura pop a perceberem que também precisam expandir seus conteúdos para diferentes meios, mantendo seu contato com o público de forma criativa, autêntica, mas também multiplataforma. Manter-se em mais plataformas, de forma consistente, é estar mais conectado com sua audiência.

As dicas podem ser úteis não apenas para quem está na área de produção de conteúdo, mas para empreendedores em geral. Os cenários vizinhos aos nossos tendem a ensinar bastante sobre como podemos inovar em nossa área. Quais as suas dicas? Deixe um comentário =)

 

Matéria de RICARDO OLIVEIRA originalmente publicada no site VAMOS EMPREENDER em 19.10.2016